Memória Ardente

Eu me lembro da primeira vez que senti o calor das chamas de Bel. Na época não compreendi o simbolismo, a energia, o poder que fez meu sangue ferver. Embriagado não só pelo vinho, mas também pelo fogo que dançava em meu quadril; senti algo antigo, ancestral.

Inundado pelo prazer daquele momento mágico, meus sentidos aguçaram e eu senti o cheiro Dela, nelas. O brilho dos olhos e dos cabelos Dela, nelas. A presença e o toque Dela em mim, através delas.

A cada giro da roda sou tomado por percepções e sensações cada vez mais intensas e profundas…

Na última vez que senti o calor das chamas de Bel, a vibração dos Antigos no fogo sagrado me levou até eles, levou-me há tempos gravados na minha herança genética:

Vi-me entre eles. No silêncio absoluto da floresta quebrado quando os homens se movem suavemente sobre o corpo da Grande Mãe; tateando o solo pé ante pé. Evitando ao máximo o menor estalar dos galhos e das folhas secas. Caminhei com eles e senti o cheiro de suor se misturando ao da floresta como uma só coisa. Medo e excitação, homem e natureza, caçador e presa, tudo em uma unidade perfeita.

A manada de gamos à frente. Um único golpe e a lança penetraria a carne; a tribo não morreria de fome.Um único movimento e eu, um homem me uniria a grande corrente de caçadores que usaram a coroa de chifres,me ligaria ao primeiro caçador,O Deus Hu Gaddarn.

E assim seria digno o suficiente para encontrar a Soberania, encontrar a Grande Deusa através da Sacerdotisa. Homem e mulher, guerreiro e sacerdotisa, Deus e Deusa; e do casamento sagrado a roda giraria mais uma vez.

Eu me lembro que da última vez que senti a Magia da fogueira de Bel fui tomado por uma certeza:

Por mais “civilizados”, por maior que tenha sido o controle que nos foi imposto para reprimirmos nossos instintos. Mais de dois milênios não foram o suficiente para apagar de nós a selvageria e sensualidade do Rei-Caçador e a soberania e magia da Donzela-Caçadora.

Mais uma vez a roda gira e eu sussurro ao vento para vocês:

DESPERTEM…OUÇAM…SINTA…

A Grande Dança se aproxima e nós reis e donzelas caçadores dançaremos mais uma vez honrando os Antigos Mistérios.

BELTANE ESTÁ CHEGANDO.

Dragony Scatha – Beltane de 2011

Dragony Scatha

Dragony Scatha

Dragony Scatha, tem 29 anos, é iniciado na Tradição Diânica do Brasil, praticante de Wicca desde 2007, possui culto especial a Tiamat e Morrigan. Dedica parte do seu Sacerdócio a recuperação e cura do Sagrado Masculino. É cuteleiro e através deste oficio faz conexão com @s Deus@s da Forja e do Fogo.

More Posts